Entrar em crise

Hoje em dia é muito comum estar em crise! O problema é que a crise acontece geralmente quando estamos cheios de coisas para fazer, prazos para cumprir e a gente acaba passando por cima e não dando a devida atenção à esse sentimento. Resultado? Problemas para dormir, ansiedade, depressão.

Para sair da crise, só dando a devida atenção a ela – o que está acontecendo? Por que estamos nos sentindo mal? Tem alguma coisa na sua vida que está difícil, que te deixa mal? Que tal tentar resolver o problema em vez de tapar o sol com a peneira?

 

Anúncios

Fazer diferença no mundo

Mais um videozinho yeeah to pegando ritmo. 😀

Aqui eu falo que cada um de nós faz diferença no mundo sim! Cada escolha, cada exemplo, cada pequena ação que fazemos influencia outros, e faz uma diferença enorme para o mundo ao nosso redor. Que tal ser a diferença que queremos para o mundo, dar exemplos legais e mudar o mundo ao nosso redor? É simples.

Criar um plano

Você já parou para perceber quanto tempo da sua vida você perde com momentos de distração, assistindo tevê, ou nas redes socias da internet? E já parou para pensar quantas coisas interessantes você poderia fazer se valorizasse um pouco mais o seu tempo?

Certamente você tem sonhos, que normalmente vão ficando de lado no dia a dia. Mas é possível realizar os sonhos se você começar a se organizar no cotidiano e separar algumas horinhas para cumprir um plano. Um plano pode ser qualquer coisa que você queira muito, mas que fica geralmente só na idéia. Mudar a rotina requer um pouquinho de disciplina no começo, mas depois que engata a segunda marcha, ela vai sozinha.

O importante é criar um plano novo de vida, e seguir o novo plano. Se o novo plano é ser feliz, realizar um sonho, quem vai querer desviar?

Quando a vida se torna um processo

Tenho acompanhado muitos exemplos de pessoas interessantíssimas que compartilham a vida em processo, escolhas de vida, mudanças de rumo, crises, viradas, que me inspiram enormemente para o meu processo.

Conhecer pessoas que viveram coisas boas, que também passaram por crise e conseguiram dar a volta, histórias de superação, de conhecimento, de aprendizagem, me fortalecem muito porque me mostra que eu não estou sozinha – tem muita gente aí no mundo fazendo isso também, sentindo e vivendo coisas parecidas. E aí me dou conta que eu não tô louca, sabe, que é normal sentir isso, e que também é possível dar a volta, conquistar espaço, mudar, trabalhar, e viver uma outra vida.

Vou deixar aqui algumas referências:

Um livro que me inspirou muito é Comer, rezar e amar, que acabou adaptado para a tela com Julia Roberts. O livro conta muito a crise da escritora Elisabeth Gilbert, e é meio autobiográfico, dela vivendo a crise, e pensando, se reorganizando para sair dela. Vale a pena conferir o livro. Inclusive, ainda sobre essa autora, tem uma palestra TED onde ela fala de criatividade que é ótima. Depois vou escrever um post sobre criatividade e postar o link aqui.

Outra referência maravilhosa, uma pessoa que eu considero iluminada de tão sábia, que acompanho aqui no meio virtual e já vi pessoalmente em palestras é a Ana Thomaz. Uma mãe educadora que mudou sua maneira de pensar/viver/experimentar a vida depois que teve os filhos, e que hoje considero revolucionária, pois está implementando um processo educativo diferente. Se tiver curioso veja esse video aqui dela. E se continuar interessado, veja este vídeo em que ela explica o que é Desescolarização. E entre no blog dela aqui.

Outro grande inspirador da mudança e da apropriação do próprio processo é o Seiti Arata, que generosamente mantém vídeos de empreendedorismo, leituras interessantes e reflexões sobre a vida moderna.

Por último, mas igualmente inspirador, é o canal continue curioso, no youtube que entrevista pessoas que mudaram suas vidas e acompanha processos pessoais de algumas pessoas. Muito lindo mesmo, de chorar.

São esses exemplos que me inspiram, pois mostram que a vida é um processo, e como diz Ana Tomaz, ta na hora de profissionalizar a vida –a gente tem vivido de maneira muito infantil, muito amadora. Vamos nos conscientizar das nossas escolhas, arcar com as consequências concretas, investir no que interessa, e desinvestir o que não interessa. Seguir o coração, mas consciente de cada passo. ❤

A gente não nasce pronto

A gente nasce pra aprender, pra ter experiências, para experimentar. Ninguém vem pronto pro mundo.  E é isso que é bom, encarar a vida como um espaço de aprendizagem, um laboratório de experimentação, de crescimento, acumular experiências, fazer escolhas. Fazer escolhas e ser ativo nelas, atuar mesmo, e não simplesmente se acomodar e deixar rolar, sem assumir os sonhos e as direções para onde deveria estar caminhando.

Tirar da cabeça que tem uma idade certa para fazer alguma coisa. As coisas vão acontecer no momento certo que tiverem que acontecer, quando você estiver pronto. A pior coisa que tem é ficar alimentando ressentimentos e mágoas, criticando o passado, porque lá no passado, quando você fez determinada escolha, ela era a melhor escolha que você poderia fazer naquele cenário, com aquela idade, com os parâmetros que você tinha.
Se você olha para trás e descobre que não pensa da mesma maneira que antes, parabéns, isso significa que você cresceu, que você mudou. Mas não aceitar o passado só trás infelicidade, e enfraquece a nossa força, porque aquilo que se faz lá trás é parte estruturante do que você é hoje. Foi importante acontecer como aconteceu, e hoje você é isso que é hoje graças ao seu passado.

E se tem coisas que você ainda não fez mas queria muito fazer, esse é o momento de fazer. A hora certa é sempre hoje. Bora correr atrás do que faz feliz, dos sonhos, dos desejos reais e fazer o futuro mais parecido com o que a gente gostaria que ele fosse. ❤

Porque eu comecei a fazer teatro

Fiz um vídeo contando um pouquinho como que eu fui me envolvendo com teatro, e também para mostrar que às vezes você até sabe mais ou menos o que quer fazer, mas não se enquadra em uma profissão específica.

Acho que se trata muito mais de conhecer as verdadeiras aptidões e as possibilidades de viver plenamente, do que se enquadrar em uma caixinha específica. Encontrar a sua missão mesmo, e deixar de fora as escolhas artificiais que nos prendem a apenas uma maneira de fazer aquilo que a gente realmente nasceu pra ser.

As artes (não só o teatro) ajudam muito as pessoas a conseguirem ser mais criativas, não só na criação de uma obra artística, mas em descobrir oportunidades criativas de viver, no cotidiano, valorizando pequenos momentos para ser algo mais gostoso e mais personalizado daquilo que é seu.

As vezes a pessoa já se formou em um campo que gosta, tem interesse, mas não consegue na prática colocar seu amor. Por exemplo, eu fiz biologia né, então estudamos muito o meio ambiente, os seres vivos, os ciclos ecológicos… mas uma grande parte dos empregos que pedem biólogos são empresas que precisam de uma autorização para poluir, desmatar, destruir a natureza. Olha que crise! A pessoa estuda e ama a natureza e acaba sendo um colaborador de empresas poluidoras.

Por isso, é muito importante continuar procurando, buscar alternativas, criar possibilidades para exercitar suas aptidões, desejos, vontades no mundo. Conhecer seus interesses, suas facilidades, características bem pessoais, que só você é capaz de fazer, e de colocar no mundo de maneiras múltiplas, criativas, produtivas, emancipadoras. E não desistir no primeiro obstáculo ou frustração – ir buscar, e também, através da sua ação gerar exemplos para os outros. É o que eu to tentando aqui, depois vocês me contam se funciona 😉

Assuntos árvores e assuntos bigodes

 

O nome do projeto condensa na verdade meus grandes interesses na vida.

Assuntos árvores para mim são assuntos construtivos, que geram frutos, que possuem raízes, assuntos que formam uma rede de conhecimentos, que falam sobre processos de vida, experiências, natureza, sabedoria. Processos pessoais, histórias inspiradoras, lados terapêuticos e holísticos, e ecológicos.

Enquanto os assuntos bigodes são os assuntos cabeludos, filosóficos, assuntos que as vezes nem temos propriedade para falar mas que geralmente todo mundo quer dar pitaco; assuntos que podem ser tabu, mas também assuntos que podem ser complexos, que pedem um pouco mais de método e atenção para refletir a respeito, e que nem sempre é fácil assimilar. Assuntos científicos, ou filosóficos, assuntos contemporâneos, assuntos humanísticos.

E resumem duas grandes paixões, a ciência (assunto bigode) e a arte (assunto árvore).

No fundo é tudo a mesma coisa né, mas a gente tem mania de querer separar pra pensar, e aí achei que ia ficar bonito assim. Até porque eu adoro usar bigode (quem já me viu no facebook sabe) e também AMO árvores, floresta, natureza. É isso. Acho que é. Alguma dúvida? Hahaha

Assumindo o que eu sou

Finalmente consegui iniciar esse projeto. Esse projeto tem uma relação muito grande com o que eu sou de verdade, não apenas as formações, estudos, profissionalmente falando, mas escolhas profundas do meu ser. Então entrar em contato realmente com o que eu sou, trazer minha criança, permitir e aceitar que eu seja assim, tem me transformado enormemente de uma maneira muito positiva, pois cada vez sofro menos (tentando ser o que não sou) e sinto mais realização e prazer buscando atividades e conhecimentos que realmente me interessam.

Esse é o meu primeiro vídeo onde eu conto um pouquinho sobre o quanto me escondi com meu sotaque de curitibana, e um convite para você refletir se tem alguma coisa que te incomoda ou que você tem vergonha de ser ou fazer.